- 11 - Preparar uma porção de Araldite e reforçar internamente todas as junções das laterais, tetos e dianteira da carcaça. Espere secar completamente o Araldire (um dia no mínimo). Se as junções foram chanfradas e coladas com precisão, poderá ser feito um lixamento pela parte externa da carcaça suavizando-se os ângulos das junções, pois a espessura do estireno assim o permite. Se isso gerar pequenas falhas e aberturas nas junções, tente fechá-las com um pouco de SuperBonder e o pó do lixamento ou, se for necessário, aplique massa Putty, deixe secar e refaça o lixamento. Use um toquinho quadrado de madeira para suportar a lixa nas partes planas. Use lixas mais grossas (número menor) para iniciar o lixamento e vá diminuindo a gramatura (números maiores) até que a superfície fique regular.
- 12 - Cortar e colar um tarugo de estireno, ou qualquer plástico que possa ser moldado com facilidade (pvc, por exemplo), de sessão retangular, e preencha o espaço que ficou na junção entre a parte superior do nariz e a frente da locomotiva. depois de colado, lixar, conformando e arredondando a junção conforme a Figura 04 e 05 . Cortar dois filetes de estireno com largura de aproximadamente 4mm e colá-los nas duas faces laterais da parte vertical da frente da carcaça, de modo que o nível infeiror desse filete fique faceado com a parte inferior da lateral da locomotiva. Com uma lâmina de serra, abrir dois sulcos em cada filete de modo que ele fique dividido em 3 partes iguais, conforme visto na Figura 04 e 05 . Isso formará o para-choques da locomotiva.
- 13 - Colar as peças de acabamento, peças B, na traseira da carcaça, preenchedo e igualando as junções, no topo da locomotiva, conforme a Figura 05 .

Abertura dos furos para as peças de decoração
Essa parte é crucial para o sucesso dessa construção. A partir de agora, qualquer deslize pode inutilizar todo o trabalho já realizado até agora. Siga as instruções com o maior cuidado possível. Antes de iniciar qualquer corte, verifique as medidas das peças que serão colocadas no local para que as junções fiquem o mais precisas quanto possível. Utilize um dos métodos de corte descritos anteriormente no início dessa matéria. Comece os cortes de forma um pouco menor que o desejado e vá ajustando o tamanho até que a peça possa ser inserida no local precisamente, sem faltas nem sobras, se possível.
- 14 - Corte os furos para as peças que serão colocadas no teto, laterais, traseira e frente da carcaça. Abra os rasgos laterais onde ficarão as telas dos radiadores.
- 15 - Antes de começar a colagem das peças, faça um lixamento geral da carcaça. Ajuste cada peça no seu local de modo que a sua face superior (aquela que ficará visível pelo lado de fora da locomotiva), fique nivelada com a parte de fora da carcaça. Cole a peça por dentro da carcaça. Comece a colagem com pequenos pontos de cola nos cantos enquanto realiza os ajustes e termine a colagem depois que o ajuste estiver realizado. Cole as telas nas aberturas dos radiadores, nas laterais e no teto.
- 16 - Reforçe as junções internamente com Araldite e tape as folgas com massa

Putty, se necessário.
- 17 - Com um "pin-vise" (porta brocas miniatura e manual - não use máquina elétrica) e uma broca fina de medida apropriada, abra os furos para os detalhes externos como pega-mãos das portas laterais, aneis de içamento do teto (dois na frente do freio dinâmico e outro entre as saídas de descarga e a grade central do radiador de teto) e haste de abertura do engate dianteiro e traseiro se houver necessidade.
- 18 - Fazer um lixamento final cuidadosamente para não danificar os detalhes. Retirar excessos de massa e cola que ainda resistirem.
- 19 - Cortar as peças de suporte e fixação do chassis e colá-las nos devidos lugares de modo que o nível inferior do chassis fique totalmente inserido dentro da carcaça. Nessa fase, verificar se o topo do motor está enconstando nos suportes internos do teto. Se isso acontecer, desbastar os suportes (com a faca de modelismo ou com uma máquina tipo Dremmel), de modo a liberar o motor.

Nesse ponto, a carcaça estará pronta para a pintura, que será descrita mais adiante.

Modificação dos truques e tanque de combustível
Truques - Os truques da B-12 são idênticos aos truques da G-12, com apenas uma pequena diferença. As caixas dos areeiros perto do tanque de combustível não existem. Não sei se foram retiradas ou se não existiam originalmente. Então teremos que retirar as caixas dos lados contrários aos engates dos dois truques que serão usados na montagem. Poderá ser usada a faca de modelismo ou uma máquina Dremmel, com extremo cuidado para não estragar o truque. No truque existe plástico suficiente para que a retirada das caixas não prejudique a fixação deles nos redutores dos rodeiros.
Nota da Redação: Na época de confecção desse artigo, o tanque de conbustível da G-22U era composto por duas peças de plástico que davam acabamento a um tarugo de chumbo que formava o peso da locomotiva e o tanque. Essas peças eram separadas do chumbo e podiam ser compradas separadamente. Duas peças simétricas, uma para cada lado da locomotiva, formavam o conjunto.
Para os modelos de locomotivas de fabricação mais recentes deverá ser feita uma pequena adaptação nas instruções desse artigo para que os detalhes sejam ajustados e isso pode ser matéria para um artigo posterior.

Tanque - O tanque de combustível é idêntico ao da G-22U, mas existe segundo tanque de ar na parte traseira do mesmo e não existe a caixa de baterias existente na G-22U. Este outro tanque de ar deverá ser feito com um outro conjunto de peças de acabamento. Como as paças são simétricas, devemos cortar cada peça pelo meio da região que modela o tanque de combustível propriamente dito e aproveitarmos as quatro partes que contêm o tanque de ar, descartando as partes que modelam a caixa de baterias. O tamanho do tanque deverá ser ajustado para que caiba entre os dois truques, conforme podemos ver na Figura 06 . No peso de chumbo, também haverá necessidade de uma pequena usinagem para que ele se ajuste ao formato do novo tanque.